segunda-feira, Fevereiro 25, 2013

O caso D. Carlos Azevedo

Acerca do caso envolvendo D. Carlos Azevedo - que já ganhou relevância internacional -, concordo com o Padre Nuno Serras Pereira: até prova em contrário, a prudência manda presumir inocência. Trata-se de um caso clássico de palavra do acusador contra a do acusado, no qual a prova é sempre muito difícil de ser feita e em que, dependendo das simpatias ou antipatias pessoais que os envolvidos nos mereçam, a tendência natural é crer na palavra de um ou de outro.

Por mim, após haver lido a reportagem da “Visão”, que quanto a factos concretos é efectivamente muito pobre, fico até convencido de que a sua publicação - numa revista de notória inspiração mundialista e jacobina, sublinhe-se - só foi possível por o seu autor, revelando a ignorância característica dos jornalistas em matéria religiosa, ter partido da suposição errónea de que D. Carlos Azevedo seria um bispo conservador.

Ora, D. Carlos Azevedo não é um bispo conservador, muito pelo contrário é um progressista e bem radical, como se pode comprovar pela leitura destes três artigos (I, II e III) publicados neste espaço. Assim, é notório que o tiro acaba por sair pela culatra à “Visão”, que com tal reportagem terá eliminado definitivamente as hipóteses que ainda restariam ao mesmo D. Carlos Azevedo de vir a ser o futuro Patriarca de Lisboa (cargo para o qual, pela sua postura doutrinária heterodoxa, é manifesto não servir, independentemente de ser ou não homossexual e culpado ou não de assédio sexual). 

2 comentários:

ana disse...

Encontrei hoje por acaso este comentário no seu blogue...obrigada!...fez-me bem saber que há gente lúcida e que sabe pensar! Tenho uma estima imensa pelo Senhor D Carlos Azevedo, conheço bem demais o acusador,,,mas o lugar do Bispo Carlos Azevedo é fora de Portugal para que possa velar por este País amado ...como diria Jorge de Sena eu não quero salvar Portugal eu quero.me salvar de Portugal.

Maria disse...


Gostei Ana!!!...E como dizia O P.E António Vieira no Seu Sermão a Sto António: " se Sto António não tivesse sido desviado para a Itália e continuasse neste País quando muito chegaria a herói mas nunca a Santo porque em Portugal há muita inveja", ontem como hoje singram os "politicamente correctos"...felizmente o nosso D. Carlos Azevedo é Homem de fibra e que não verga por isso continua a "salvar Portugal" na Sua Missão Evangelizadora de testemunho criativo em "paz e Bem"para maior sofrimento dos "medíocres".
Obrigada Ana por me ter lançado para este comentário que retenho há meses."Deus è Grande" com este desabafo do Senhor D. Carlos me retiro.